sábado, 29 de dezembro de 2018

Dicas de treino



Em 2014, recebi um email que pedia dicas de treino. Respondi assim: "Há muita discussão sobre a efetividade do tiro prático na atividade policial, pois existem regras no tiro policial que não se aplicam ao IPSC como, por exemplo, o uso de cobertura, o tiro com uma mão, o saque dissimulado e o alvo a curtíssima distância. Contudo, alguns princípios são sempre válidos no esporte e no tiro instintivo policial. E isso possui relação com os fundamentos do tiro, ou seja, a excelência no básico. Não sou atirador de IPSC, apesar de eventualmente participar de uma ou duas provas por ano como método de treino.

Você já percebeu que o treino de uma hora de duração está incomodando. Portanto, sugiro que divida o treino de 60min em 4 sessões de 15min, por exemplo. Faça intervalos entre as sessões ou divida as sessões de acordo com o período do dia (manhã, tarde, anoitecer e noite). Varie as distâncias do alvo. Utilize as sessões para cada tipo de exercício (saque a partir do coldre; saque com a mão forte e tiro com a mão forte; saque com a mão forte com transferência da arma para a mão de apoio e tiro; recarga rápida; recarga rápida em deslocamento para frente, para trás e de um lado para o outro; empunhadura da arma a partir da mesa; inserção do carregador e acionamento do ferrolho quando pegar a arma sobre a mesa, etc.). Imagine o processo para o tiro desde o posicionamento do corpo até a visada final. Divida esse processo em segmentos. Treine cada segmento em cada sessão de 15min. Treine lentamente e com os olhos fechados; aumente a velocidade dos movimentos, repita com os olhos abertos. Visualize mentalmente todo o movimento: isso pode ser feito enquanto você está deitado e se preparando para dormir.

Treine o básico com excelência (base, saque, empunhadura, acionamento do gatilho, visada). Aprendi que tentar ser rápido demais normalmente compromete a minha precisão. Assim, quem dita o quão rápido eu posso ser é minha capacidade de ser eficaz. Então, aprendi também que em alvos muito próximos eu simplesmente aponto e disparo; em alvos próximos, faço visada rápida; em alvos pequenos ou distantes, tento caprichar e esqueço o timer.

Espero ter ajudado."


Humberto Wendling é policial, instrutor de armamento e tiro e autor dos livros Autodefesa contra o crime e a violência – um guia para civis e policiais e Sobrevivência Policial – morrer não faz parte do plano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário