quinta-feira, 15 de março de 2018

Chega de matarem policiais também.



 
O Brasil parou. Não se fala noutro assunto a não ser sobre a morte de uma vereadora no Rio de Janeiro.

A sociedade está indignada. A imprensa está aflita. Políticos em polvorosa. As instituições públicas estão mobilizadas. Autoridades lamentando o ocorrido. E artistas tristes.

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, de 2009 a 2016, foram assassinados 3.015 policiais brasileiros.

Essas vítimas policiais também foram emboscadas, na maioria das vezes. Eram mulheres e homens que nasceram em lugares diferentes, tiveram origens diferentes, viveram em épocas distintas e morreram em circunstâncias diversas. Mas o compromisso que compartilhavam, e para o qual deram suas vidas, era o compromisso com o DEVER. E não se conhece no mundo profissão que dê a vida em benefício alheio.

Pode-se afirmar, sem risco de errar, que todo bom policial tem origem simples. Todos eles também lutam pela defesa do direito à vida e à propriedade de cada cidadão. Todos possuem histórias sobre colegas assassinados ou que se mataram. São homens e mulheres de todas as etnias, de todas as religiões. A maioria é casada e possui filhos. Muitos estudam após a jornada de trabalho e vivem com aquilo que o salário pode pagar. Todos sonham e possuem ideais. Todos carregam o orgulho pela luta que travam todos os dias no Brasil. Todos correm o risco de “morrer atuando em prol das causas” de suas vidas. E tudo sem um pingo de esperança de reconhecimento.

Então vamos lembrar os nomes de alguns policiais da PMERJ que foram executados em 2017, na esperança vã que isso gere alguma comoção nacional ou acabe com a hipocrisia.


1.    Soldado André William Barbosa de Oliveira, 32 anos, morto a tiros.

2.    Soldado Antônio Carlos Paiva Nunes, 34 anos, assassinado.

3.    Cabo Cleiton William Santos de Freitas, assassinado.

4.    Sargento Francisco Assis de Aguiar, assassinado.

5.    Soldado Jefferson Martins Pedra, assassinado.

6.    Soldado Marcelo Abdalla Neder, 34 anos, assassinado.

7.    Subtenente Cássio Ferreira, carbonizado.

8.    Soldado Daniel Cavalcante da Silva, 26 anos, torturado e morto.

9.    Soldado Sandro Mendes de Lyra, 36 anos, morto com um tiro na cabeça em um ataque de bandidos.

10. Sargento Fábio Magalhães Teixeira, 44 anos, morto após ser baleado durante ataque de criminosos.

11. Sargento Cristiano da Anunciação Macedo, 39 anos, morto ao tentar apartar uma briga durante uma festa.

12. Cabo Cosme Rodrigues Souza Júnior, de 32 anos, morto após ser baleado na cabeça.

13. Subtenente João Máximo Guimarães Rodrigues, 52 anos, morto ao tentar impedir um assalto a uma padaria da rua onde morava.

14. Subtenente Amauri Panema, 52 anos, morto após ser baleado ao reagir a um assalto.

15. Sargento Renato Alves da Conceição, 39 anos, morto ao ser alvejado por oito tiros.

16. Cabo Roque Medeiros Fonseca Júnior, 34 anos, morto ao tentar impedir um assalto.

17. Sargento Artur Fernando Ribeiro Moura, 47 anos, morto durante uma saidinha de banco.

18. Subtenente Evaldo Fernandes da Silva, 37 anos, morto após ser atingido por um disparo acidental.

19. Sargento André Luiz de Araújo, 42 anos, assassinado.

20. Sargento Carlos Elias dos Santos Vasconcellos, morto e carbonizado por traficantes.

21. Soldado Eduardo Ribeiro Paraguai, 36 anos, morto dentro de casa.

22. Cabo Tiago Bispo dos Santos, 34 anos, morto durante incursão na favela.

23. Cabo Nielson do Carmo Costa, morto após ser baleado na porta de casa.

24. Soldado Wallace Guimarães de Souza, 27 anos, morto ao reagir a uma tentativa de assalto.

25. Soldado Gemerson Augusto Chaves da Silva, 27 anos, assassinado.

26. Subtenente Marcos Cesar Tarradt, 48 anos, encontrado morto junto com a mulher.

27. Soldado Renault Ferreira Feitosa, 39 anos, morto após ser baleado.

28. Sargento Márcio Leandro do Nascimento Marins, 46 anos, assassinado e carbonizado.

29. Soldado Michel de Lima Galvão, 32 anos, morto durante ataque de criminosos.

30. Cabo Thiago de Oliveira Lance, 31 anos, assassinado.

31. Cabos Rodrigo Severo, assassinado e carbonizado.

32. Cabo Ricardo Feitosa, morto e carbonizado.

33. Policial Militar Ademilson Pereira, assassinado.

34. Subtenente José Luiz da Silva Filho, 55 anos, morto ao tentar impedir um assalto.

35. Sargento Luiz Carlos Sampaio Silva Mendes, 62 anos, morto ao reagir a um assalto.

36. Sargento Renato César Jorge Cardoso, 48 anos, morto ao reagir a um assalto.

37. Sargento Roberto Soares Santanna Júnior, 42 anos, assassinado na porta de casa.

38. Sargento Luiz Alberto do Couto Neves, 39 anos, assassinado ao tentar recuperar uma moto roubada.

39. Soldado Gabriel Brasil Soares, morto ao se deparar com um “bonde”.

40. Soldado Eli Barbosa dos Santos, 38 anos, morto após ser reconhecido como policial.

41. Soldado Samuel Oliveira da Silva, morto durante um assalto.

42. Subtenente Dilson Medina Soares, assassinado.

43. Sargento Gilmar Raposo, morto ao ser baleado na porta de sua casa.

44. Sargento Gastão Pedro Gama Carmo, 69 anos, assassinado ao ser identificado como policial durante um assalto.

45. Subtenente Antônio Gonçalo dos Santos Filho, 54 anos, morto ao ser identificado como policial.

46. Soldado Fábio de Oliveira Melo, 34 anos, morto durante um assalto.

47. Subtenente Almir Tadeu Alves de Oliveira, 57 anos, morto ao tentar impedir um assalto.

48. Soldado Fernando Santos Andrade e Silva, 25 anos, morto durante uma abordagem a criminosos.

49. Soldado Gilberto Guimarães Pereira Corrêa, 38 anos, morto durante patrulhamento.

50. Sargento Sérgio Cordeiro da Silva, 48 anos, morto após ser baleado por criminosos.

51. Sargento Anselmo Alves Júnior, baleado durante uma operação da Lei Seca.

52. Sargento Walter Pegas de Oliveira, morto após ser vítima de bala perdida.

53. Sargento Benedito José Alvarenga da Silva, assassinado durante um assalto.

54. Soldado Anderson de Azevedo Marques, 31 anos, morto com um tiro na cabeça.

55. Soldado Luís Otávio da Silva Júnior, morto durante ataque de criminosos a uma cabine da PM.

56. Soldado Carlos Roberto da Silva Ribeiro, 32 anos, morto ao impedir um assalto.

57. Sargento Paulo Rogério Cappola, 40 anos, executado.

Ainda faltam citar outros 77 policiais militares mortos (totalizando 134) e aproximadamente 150 policiais cariocas feridos por disparos de armas de fogo em 2017.


Humberto Wendling é Agente Especial, Professor de Armamento e Tiro da Polícia Federal e autor dos livros Autodefesa Contra o Crime e a Violência – Um guia para civis e policiais e Sobrevivência Policial – Morrer não faz parte do plano.
E-mail: humberto.wendling@gmail.com
Blog: www.comunidadepolicial.blogspot.com
Livros: www.clubedeautores.com.br
Canal no YouTube: Humberto Wendling

quinta-feira, 1 de março de 2018