sábado, 4 de setembro de 2010

Entre o treinamento e o desespero!


Certamente você já ouviu o ditado: a propaganda é a alma do negócio! À primeira vista, a frase é simples, inocente e genial, como pode acreditar um estudante de publicidade que ainda acha que a maior invenção do mundo é o clipe para prender papel. Não discordo sobre a importância da publicidade e da propaganda nos empreendimentos comerciais e na vida pessoal. Mas o fato é que esta frase esconde uma questão intrigante: se a alma do negócio é a propaganda, qual a importância do produto em si? Sem a resposta correta para esta pergunta, cedo ou tarde, você vai comprar gato por lebre.

E uma das maiores propagandas que tenho notícia no meio policial diz respeito ao coldre de neoprene. A empresa Neoprene Brasil informa que o neoprene “é a combinação de uma fatia de borracha expandida sob alta pressão e temperatura, que quando vulcanizada é revestida com tecido dos dois lados ou de apenas um lado. Suas principais características são: flexibilidade, elasticidade, resistência e proteção térmica.”

Um bom coldre deve ser resistente, confortável, fácil de usar em qualquer circunstância e seguro. Embora os policiais acreditem que o coldre de neoprene proteja a arma contra a ferrugem (seu grande trunfo), isto não é verdade, pois nenhum coldre possui esta capacidade. De qualquer modo, o produto é vendido com ou sem presilha para cintos. Quanto ao último modelo, simplesmente me recuso a desperdiçar tempo precioso com considerações técnicas e táticas. Assim, se você possui um coldre desse tipo, considere a seguinte sugestão: jogue-o no lixo. Fazendo isso, você vai se livrar de metade do problema. Já a outra metade se revolverá quando você adquirir um produto de qualidade indiscutível.

Ops! Aqui tem outro problema! Num lugar onde as polícias se equivalem a indigentes em termos de equipamentos de uso pessoal e coletivo, adquirir algo de QUALIDADE INDISCUTÍVEL significa, invariavelmente, importar. A indigência não é uma falha dos policiais, mas do desconhecimento, do desinteresse, da inaptidão e da avareza dos responsáveis pelas aquisições de produtos destinados ao trabalho policial. A questão é que para preencher esta lacuna, os policiais acabam utilizando seus salários na aquisição dos equipamentos que precisam. E quando fazem isso, esbarram na pobreza do mercado nacional. Pessoalmente, não me importaria com a sobrevivência do mercado interno, desde que eu encontrasse os melhores equipamentos estrangeiros em cada esquina.

Então, eu penso numa bota Original Swat, Hi-tec Magnum ou Oakley, e alguém compra um kichute. Penso num colete tático Blackhawk, Eagle ou Leapers, e alguém me entrega um jaleco. Penso numa veste policial/militar 5.11, Gore-Tex Parka com camuflagens variadas, e alguém manda tingir uma gandola. Penso num bastão retrátil, e alguém compra uma tonfa de um metro. Penso numa arma Glock, Sig Sauer, CZ, Springfield, Heckler & Koch, Colt, Benelli ou Remington, e alguém quer me empurrar um troço goela abaixo. Penso num sedan médio 2.0 adequadamente equipado para o trabalho policial, e alguém compra um camburão ou manda instalar um kit gás no carrinho 1.0 da polícia. Aí, penso num coldre Fobus, IMI, Blackhawk, Safariland, 5.11, Specter ou Uncle´s Mike, e alguém vende e faz propaganda de uma coisa de neoprene.

Mesmo assim, tentando melhorar o conforto, a própria segurança e a qualidade do trabalho que prestam ao país, a maioria dos policiais acaba adquirindo os produtos disponíveis nas parcas lojinhas de quinquilharias. Contudo, acreditando na propaganda boca a boca, o policial compra o tal coldre de neoprene. “Com ele, a arma não enferruja!”, “A arma fica firme na cintura!”, “Sempre que eu precisei, o coldre funcionou!”, “É muito confortável e nem parece que eu estou armado!”, “É ambidestro e compatível com várias armas curtas!”, “Quando eu treino o saque, o coldre nunca sai junto com a arma!”

Entretanto, caro colega, a diferença entre o treinamento e a vida real é o DESESPERO. E mesmo no treino, aqueles que usam coldres de neoprene acabam sacando, “sem querer”, suas armas e coldres ao mesmo tempo. Para piorar, na vida real, as coisas raramente ocorrem como você quer ou da forma como você treina.

Só para ilustrar esta real possibilidade, no Rio de Janeiro/RJ, um experiente policial federal reagiu durante um assalto. Ele sacou sua arma, mas o coldre de neoprene ficou preso nela. Mesmo assim, o policial conseguiu disparar UMA VEZ nos criminosos. Depois do primeiro disparo, a pistola falhou porque o coldre impediu o movimento do ferrolho (totalmente para trás ou para frente). Os criminosos revidaram e acertaram o policial, que só não foi assassinado porque os bandidos se deram por satisfeitos. Volto a lembrar: o desespero é a diferença entre o treino e a realidade.

Como policial, você provavelmente já experimentou aqueles sonhos recorrentes onde você está desarmado no meio de um tiroteio ou sua arma falha ou os projéteis caem no chão assim que saem do cano. E para transformar este sonho em realidade, basta você usar uma arma suja (ou de qualidade duvidosa) ou munição velha ou uma pochete “saque rápido” ou um coldre que não presta. Então, antes de gastar seu salário, verifique se o equipamento é o melhor possível e funciona na hora da AFLIÇÃO EXTREMA.

Humberto Wendling é Agente de Polícia Federal e professor de armamento e tiro lotado na Delegacia de Polícia Federal em Uberlândia/MG.
E-mail: humberto.wendling@ig.com.br
Blog: www.comunidadepolicial.blogspot.com

38 comentários:

  1. Muito bom o post, Humberto. Seu blog é uma verdadeira escola para os que estudam para ingressar no DPF.
    Várias questões importantes são abordadas, possibilitando que já nos adequemos às questões mais específicas da vida policial. Muitas, inclusive, que desconhecemos.
    Abço.

    ResponderExcluir
  2. Caro Professor Humberto,

    Para o uso velado da Glock G26, qual coldre (marca e modelo) você sugeriria?

    Agradeço novamente os ensinamentos contidos em seus posts. São certamente muito úteis para aquele que vivem o dia a dia policial.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Humberto, muito bom saber que retornou aos posts. Ainda não sou policial e leio atentamente suas instruções. Aquele que aprende com o erro dos outros se polpa de muita coisa.
    Um grande abraço... seja bem vindo novamente.

    ResponderExcluir
  4. Caros amigos,

    agradeço seus comentários e as visitas que realizam neste blog. Quanto ao coldre, o importante também é ter opções. Assim, sugiro que você (anônimo) pesquise no Google digitando "holster" ou "coldre". Isto lhe conduzirá aos sites de empresas que oferecem grande variedade de produtos. Pessoalmente, eu uso a marca Fobus diariamente. Já na ANP uso o IMI.

    ResponderExcluir
  5. Ótimo texto Humberto, sempre dou uma passada para ver se há uma nova postagem, sempre são de grande valia os seus conhecimentos e dicas aqui postados. Agradeço, que compartilhe estes conhecimentos tão importantes aos que são da área policial e os que como eu ainda pretendem se colocar nessa posição honrosa.
    Ps: alguma novidade sobre o concurso para APF?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  6. Grande Profº Humberto

    Magnífico post, é imprescindível produtos de qualidade, porém em certo fórum (não me lembro onde rsrs) o comentário era sobre qualidade da algemas, e claro, temos poucas opções de marcas nacionais e uma vasta variada de importados, porém chegamos a um consenso de que, um ótimo equipamento não valerá de nada nas mãos de um péssimo operador, aplicar de maneira incorreta, não alcançamos nosso objetivo, que no caso da algema é a imobilização. Acredito que depois da escolha de um produto de confiança, treine muito e muito, condiciona-se as peculiaridades do produto, e não use dois tipos de produto, pois a maneira de empregar um pode não ser a mesma do outro. Ex. uso de pistola para o trabalho e revólver na folga, o ângulo da empunhadura resulta em variáveis nos disparos, que muitas vezes decidirá se você continuará a viver.
    Hotel Mike.12

    ResponderExcluir
  7. Eduardo Vargas de Oliveira8 de setembro de 2010 15:25

    Boa tarde, Humberto, gosto muito do seu blog.
    Estou prestes a entrar no universo Policial aqui em SP.
    Primeiramente quero dizer que já aprendi muito lendo seus post (ou posts, sei lá)...
    Fiquei conhecendo seu blog atraves do comunidadepolicial, e gostaria de saber se você indica algum outro blog ou site que contenha esses assuntos...
    Desde já Obrigado.

    ResponderExcluir
  8. Humberto,

    QLi todo artigo achando que ao final haveria uma sugestão, mas nada! Qual seria a melhor solução para o problema do coldre de neoprene? Usar a arma na cintura sem qualquer coldre? Para uso velado, até hoje não achei coldre melhor que o de neoprene, não porque ele evita a ferrugem, mas porque a arma deslisa facilmente por ele, evitando que venha junto na hora do saque. E aí? Com ou sem coldre?

    ResponderExcluir
  9. Caro Luciano,

    acredito que a sugestão esteja descrita no artigo "Quanto vale a sua vida? Pergunte a quem te ama!" De qualquer modo, a resposta para a pergunta "Com ou sem coldre?" é: coldre, sempre. Ainda assim, é possível o uso velado do coldre de polímero (não me refiro ao coldre tático), do coldre de couro tipo panqueca, do coldre SOB (Small of Back). Todos os coldres que citei ficam presos ao cinto, e ainda é possível usá-los com bermuda, o que geralmente faço. Experimente um dia: vista a bermuda, passe o coldre pelo cinto, e o cinto envolta da bermuda. Então vista uma camisa larga. Deste modo, você evita usar aquelas pochetes "saque rápido" (outra grande castata). Um abraço.

    ResponderExcluir
  10. Muito bom post, caro colega. Acontece que ainda não vi nenhum cana daqui do meu trabalho usando um coldre de polímero ou algo parecido para o uso velado. Gostaria que você me mostrasse um modelo que dê para ser usado no dia a dia de investigações, onde a gente não pode mostrar de jeito nenhum que carregamos uma arma. Tem como vocÊ arrumar uma foto de algum modelo assim, sobretudo para a enorme PT 100?

    Obrigado

    ResponderExcluir
  11. Humberto, quando você diz importar seria comprar diretamente pelo ebay por exemplo ou em alguma loja que importa?

    ResponderExcluir
  12. Caro Petterson,

    pode ser as duas coisas (ebay e lojas nacionais que importam). Pode ser, ainda, por meio de um amigo.

    ResponderExcluir
  13. Humberto, utilizo o shooters(panqueca) nacional, treino bastante e não tenho do que me queixar. Comprei um safariland (ostensivo) a alguns meses e a arma não entrava. Eles queriam que eu mandasse para os states para consertar. Nem sempre acho que o produto importado supere o nacional, as proprias Glocks da PF tiveram que passar por um recall, não foi mesmo?
    OBS: tenho uma PT 100, uma Glock 28 e uma Taurus 24/7 PRO DS.

    abraços

    Hamilton
    PRF

    ResponderExcluir
  14. Caro Humberto, me chamo Vitor e sou Agente da Policia Civil do Estdo de Santa Catarina, após ler este artigo sobre o coldre de neoprene,fiquei impressionado com a matéria, e como costumo utilizar este equipamento, gostaria de saber, qual seria então o coldre mais adequado para usar velado? Grato pela atenção!

    ResponderExcluir
  15. Caro Vitor,

    você pode importar o coldre Desantis The Insider IWR (US$ 20 + entrega) através do site http://www.newyorkironworks.com/. O site aceita cartão de crédito pelo sistema Paypal.

    Forte abraço

    Humberto Wendling

    ResponderExcluir
  16. Bem em minha pouca experiencia de 13 anos de policia, nunca tinha lido algo tão verdadeiro e direto como vc fez. Infelizmente a realidade é essa, os materiais são de pessima qualidade e o salario do policial não da para comprar algo melhor.

    ResponderExcluir
  17. Caro Humberto,

    Interessei-me pelo coldre Desantis The Intruder IWR, que você recomendou. Tenho apenas uma dúvida: para a minha pistola Taurus PT 840, seria de que tamanho?
    Muito Obrigado!

    ResponderExcluir
  18. Boa noite, o coldre Desantis The Insider IWB que der para a Taurus 24/7 também serve para a Taurus 840? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A marca não possui coldres para armas nacionais.

      Excluir
  19. Caro Humberto, sou policial civil no rio, me considero ainda um policial novato, pois estou sempre tentando aprender. Adquiri o hábito de usar a arma "no pelo", com os amigos "cascudos", de forma dissimulada, o que ocorre quando estou em serviço ou de folga, já que trabalho sempre apaisana e nas ruas. Treino em casa, ainda que com pouca frequência, o saque em seco. Contudo sempre fico com a pulga atrás da orelha achando que a bendita arma na hora da verdade vai ficar agarrada na cueca. Procuro coldres de boa qualidade, mas como vc mesmo diz, aqui no Brasil não existe. A arma que a minha instituição acautela é a (infelizmente, e não temos opção de escolha) PT Taurus 24/7 PRO LS TACTICAL, e não encontrei nenhum coldre específico para ela no EBAY. Procuro coldres do tipo KYDEX para uso dissimulado (por dentro da calça), vc conhece algum? Tenho um FOBUS de cintura, já tentei usar, mas de forma dissimulada é impossível, teria que usar mais roupa que o normal. É uma arma grande. Pode me ajudar? Tenho a facilidade de um amigo para trazer do US para mim. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega, felizmente já contamos com uma empresa que está produzindo coldres em Kydex. Entre em contato pelo e-mail drr.norte@gmail.com e trate com o Eduardo. Você vai ficar surpreso com a qualidade do produto. Forte abraço.

      Excluir
    2. Estou na mesma situação do colega acima, sou Inspetor da PCERJ, porém minha turma recebeu a Taurus PT 840... Pesquisando na internet, o coldre para porte velado que me pareceu de melhor qualidade foi o seguinte que, segundo o fabricante, atende a: PT24/7, PT840 e Glock G25:

      http://assaultshop.com.br/products.php?product=coldre-em-kydex-%252d-sabre-24{47}7

      Por acaso já conhecia esse, Humberto? O fato de servir para 3 tipos de pistolas diferentes quer dizer que o coldre não é tão específico e, portanto, deixa a desejar quanto ao desempenho do saque?
      A presilha parece de melhor qualidade do que as dos famosos coldres de neoprene.

      De qualquer maneira enviei email para o Eduardo que você indicou e estou no aguardo de resposta com mais informações sobre os coldres dele.

      Obrigado pela atenção. Grande abraço.

      Excluir
  20. Ae Humberto, quando o Eduardo me respondeu fui ver que a loja dele é exatamente essa que eu colei o link aí em cima e o coldre é esse mesmo kkk coincidência enorme. Realmente parecem de ótima qualidade. Abraço

    ResponderExcluir
  21. Caro Humberto, estava pesquisando alguns coldres da CrossBreed. Conhece a marca? Se sim, o que tem a dizer sobre?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega, não conheço a marca. Acessei o site do fabricante e, pessoalmente, não gostei dos coldres, pois a maioria tinha muitas peças em contato com o corpo. Alguns modelos são interessantes. Entretanto, acredito que quanto mais simples, melhor. Certamente existem outras marcas de melhor qualidade.

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta. O que você recomendaria então para porte velado de uma PT-917?

      Excluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Eu sugeriria o Fobus ou IMI (sem trava do dedo indicador, apenas com trava de pressão).

    ResponderExcluir
  24. RICARDO GONÇALVES2 de maio de 2015 12:06

    Parabéns pelo Blog
    Treino bastante o saque em seco, 3 ou 4 vezes na semana, 15 min, estou interessado em comprar um coldre de kydex da Cammoart Custom ( localizada em SP), mas estou com medo de danificar muito a arma, com todo esse treinamento, já que o kydex é feito um "plástico". O que acha?
    Utilizo um coldre de couro para uso interno, feito exclusivamente para a pt 940, Não ligo pra arma ficar perfeita, sem nenhum arranhão, mas tb não quero que fique toda arranhada, ainda mais se tratando de uma Taurus, que a qualidade já não é boa. Vc vê vantagem no kydex em relação ao couro ?
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Ricardo, a primeira regra é o uso de um coldre de qualidade (couro ou kydex). A vantagem do coldre kydex é que não deforma, permite o coldreamento da arma apenas com uma mão e não sobre a ação do tempo (umidade, suor, odor, etc.). Um abraço.

      Excluir
  25. Prezado Humberto, estou interessado em um coldre que possa me oferecer maior segurança, tanto no porte quanto no saque. Atualmente uso um coldre de Neoprene.
    Gostaria de saber sobre o conforto que um coldre Kydex oferece.
    Sou Investigador da PCMG e a arma que utilizo é uma PT-100, sem trilho, das antigas mesmo..rs.
    E finalizando, para uso OWB o Fobus é ideal?
    Parabéns pelo Blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Rogério, recomendo fortemente que você substitua seu coldre de neoprene por algo mais moderno e confiável, como o kydex. O neoprene foi uma invenção tupiniquim que em todos os nossos treinamentos, principalmente com saque velado, apresenta problema (o coldre sai junto com a arma). O kydex é confortável, mantém a arma limpa e seca, permite o coldreamento apenas com uma mão e dura muito mais. Já existem produtos nacionais: Assault Shop e CammoArts. Vale muito a pena. O OWB Fobus é o coldre que uso diariamente.

      Excluir
  26. Olá Humberto, sou policial civil e uso um coldre com trava no indicador da FOBUS na delegacia..sempre estou treinando o saque com ele, porém em algumas situações, a arma da uma "travada" na saída do saque, quando o botão não é acionado de forma correta..na sua opnião é melhor usar outro modelo da Fobus, porém com pressão? Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Mauro, a trava do coldre Fobus fica sobre o gatilho. Um deslize e um disparo acidental pode ocorrer durante o saque. Além disso, a Fobus possui um modelo sem trava que mantém a arma presa por pressão do próprio formato do coldre. Sugiro que faça a troca o mais rápido possível. Lembro que o saque precisa ser feito para cima (em linha reta, pois o coldre não é inclinado). Caso contrário, sua arma ficará presa. Forte abraço!

      Excluir
    2. Humberto.. Qual seria esse modelo sem trava da Fobus, o BRS-ND? Pesquisei e não encontrei. Abraços!

      Excluir
  27. Humberto, primeiro parabéns pelo blog. Com bastante informação e instrução para os operadores da área de segurança ou não. Bem, sou policial de Pernambuco e gostaria de saber sua opinião a respeito do colder velado universal da Fobus IWBl e IWBS? Trabalho infelizmente com uma Taurus 24/7.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Carlos, os novos coldres da Fobus para uso interno IWBL (Large - pistolas grandes) e IWBS (Small - pistolas pequenas)são coldre considerados híbridos (que misturam materiais flexíveis como o couro e rígidos como o polímero). São excelentes para o uso velado, pois deixam a arma no lugar e com conforto; protegem a arma do contato com o corpo do policial e permitem o coldreamento com apenas uma mão. Essa ideia não é nova, pois outras marcas estrangeiras já fabricam esses coldres. Talves seja uma novidade para a Fobus, mais conhecida pelos coldre do tipo paddle. Pessoalmente, creio ser uma excelente opção, ainda mais se comparado aos "coldres" de neoprene que muitos policiais insistem em usar.

      Excluir